NOTÍCIAS

Conselho Consultivo de Inovação discute segurança de sistemas do Judiciário
18 DE MAIO DE 2022


A ampliação da segurança dos sistemas tecnológicos e a padronização dos produtos oferecidos pelo Poder Judiciário, além da realização de audiências públicas para conhecer as demandas das pessoas que os utilizam. Essas foram algumas sugestões apresentadas na segunda reunião do Conselho Consultivo de Inovação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realizada nessa terça-feira (17/5).

O presidente do CNJ, ministro Luiz Fux, afirmou que o diálogo intersetorial contribui para os avanços tecnológicos. “O CNJ lidera o ingresso na era digital do Poder Judiciário, uma necessidade para o desempenho da função de garantidor da paz social, dos direitos previstos na Constituição e nas leis do país.”

Fux destacou que a política de inovação está entre as prioridades de sua gestão à frente do Judiciário e enfatizou que a medida busca responder à crescente litigiosidade no país. “Buscamos a adoção de instrumentos tecnológicos e metodológicos para prestar uma jurisdição mais eficiente, mais célere, mais transparente e sintonizada com as demandas atuais da nossa sociedade.”

O diretor executivo do Google Brasil, Fábio José Silva Coelho, falou sobre segurança dos sistemas da Justiça brasileira e disse que a empresa pode colaborar com o CNJ na governança e verificação de dados, contribuindo para gerar acessos mais protegidos. Já o presidente do Conselho de Administração da TOTVS S.A, Laércio Cosentino, falou sobre a importância da padronização da interface dos sistemas adotados pelo Poder Judiciário. “É sempre importante ter atenção com a experiência de uso, estabelecer padrões para se alcançar um maior número de usuários.”

Estruturação de dados

A incorporação do Projeto Corte Aberta, do Supremo Tribunal Federal (STF), às plataformas do CNJ foi a sugestão apresentada pelo secretário de Altos Estudos e Pesquisas da instituição, Alexandre Reis Siqueira Freire. “É um projeto de estruturação de dados que permite, de forma amigável, o acesso a um conjunto de informações, como os processos da sistemática da repercussão geral, temas relacionados a precedentes qualificados e temas relacionados ao Plenário Virtual do STF, que corresponde a 98,67% da prestação jurisdicional da Corte.”

A realização de audiências públicas como maneira de ouvir os jurisdicionados e ampliar o diálogo interinstitucional foi a proposta apresentada pelo a juíza do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) Luciana Ortiz Tavares Costa Zanoni. A magistrada apontou também a necessidade de se estabelecer o nível de acesso que é possível ser disponibilizado pelo CNJ às diferentes plataformas do Poder Judiciário, pois algumas bases possuem informações complexas e sensíveis.

Para a juíza auxiliar da Presidência do CNJ Dayse Starling, os encontros do Conselho Consultivo de Inovação permitem conhecer a visão que a sociedade tem sobre projetos e programas desenvolvidos pela Justiça. “É fundamental ouvir o usuário , assim como outros segmentos da sociedade que atuam com inovação. Conhecer a percepção que eles têm dos nossos serviços e as propostas de melhorias que possam apresentar, para tornar o Poder Judiciário mais acessível e eficiente.”

Jeferson Melo
Agência CNJ de Notícias

Macrodesafio - Fortalecimento da estratégia nacional de TIC e de proteção de dados

Macrodesafio - Aperfeiçoamento da gestão administrativa e da governança judiciária

The post Conselho Consultivo de Inovação discute segurança de sistemas do Judiciário appeared first on Portal CNJ.

Outras Notícias

Portal CNJ

Justiça do Trabalho do Maranhão autoriza concurso público para servidores
02 de julho de 2022

No dia 20 de junho, o Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (TRT16) autorizou a realização de...


Portal CNJ

Tribunal do Pará implanta nova versão do PJe para integrar à Plataforma Digital
02 de julho de 2022

O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) vai disponibilizar, a partir de segunda-feira (4/7) a nova versão do sistema...


Portal CNJ

Tecnologia na Justiça garante transparência e acesso a direitos
02 de julho de 2022

A tecnologia ganha importantes funções na Justiça, passando pelo processos on-line até a reinserção social de...


Portal CNJ

Representantes de tribunais atualizam regras para sistemas de gestão de documentos institucionais da Justiça
01 de julho de 2022

Um grupo de trabalho formado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com representantes de diferentes tribunais de...


Portal CNJ

Justiça julgou quase 200% a mais de casos de feminicídio em 2021
01 de julho de 2022

Quase 2 mil casos de feminicídio e de tentativa de assassinato de mulheres foram levados à julgamento em 2021, um...


Anoreg RS

Migalhas – Seminário online – Lei 14.382 e seus impactos no Direito Imobiliário (MP 1.085)
01 de julho de 2022

Migalhas realiza o evento sobre a aprovação da MP 1.085 e seus impactos no Direito Imobiliário.


Portal CNJ

Atuação do poder público é essencial para atendimento de autistas, apontam ativistas
01 de julho de 2022

O transtorno do espectro autista (TEA) não é uma doença, é uma hipersensibilidade aos estímulos do ambiente. A...


Anoreg RS

Arpen-Brasil promove live sobre mudanças em decorrência da lei federal 14.382/2022
01 de julho de 2022

A transmissão ocorrerá na segunda-feira (04), às 19h, no canal da Arpen-Brasil no Youtube


Anoreg RS

“Os cartórios têm a função de garantir a publicidade, autenticidade, segurança e eficácia dos atos jurídicos”
01 de julho de 2022

Assessor da Extrajud Consultoria, Leo Gomes de Almeida concedeu entrevista à Anoreg/RS para falar sobre a...


Anoreg RS

Alemanha quer simplificar mudança de gênero em documentos
01 de julho de 2022

Alemanha quer simplificar mudança de gênero em documentos - Nova estratégia do governo alemão deve facilitar...